15 de junho de 2009

Idolatria

Imagem de Destaque

Idolatria é escolher um deus falso

Idolatria é escolher, adorar e servir um deus falso em lugar do Deus verdadeiro. São Paulo definiu muito bem essa prática: "Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em vez do Criador, que é bendito pelos séculos!" (Romanos 1,25).

Uma das diferenças do Deus verdadeiro do deus falso é que este é "oco". Por isso, no passado, um dos símbolos dos deuses falsos eram as imagens ocas. Representavam um "deus oco". Um deus "vazio", fraco!

Hoje, o grande erro é confundir a idolatria com as imagens. Idolatria é escolher um deus falso. Escolher adorar e servir à criatura em vez do Criador. Essas criaturas são as mais diversas. Não é difícil identificar os deuses falsos de hoje.

Os atuais ídolos, os deuses falsos e "ocos" dos nossos dias são: o Prazer, o Poder e o Ter. Esses são os ídolos, isto é, os "deuses ocos" dos tempos atuais. Por serem ocos não satisfazem nunca os que os buscam. Esta é, por exemplo, uma das razões pelas quais não encontramos nenhum ganancioso que diga: "Tenho dinheiro que chega, estou satisfeito". Quando o dinheiro se torna um ídolo, um deus oco, ele não preeenche o coração do ser humano.

O mesmo vale para o prazer. Quem faz do prazer um deus, este nunca se satisfaz. Busca-o desenfreadamente e sente-se sempre vazio. Vai à praia, ao jogo de futebol, viaja, come, bebe, mas se sente sempre vazio. Porque está indo atrás de um deus "oco", de um ídolo.

O mesmo podemos dizer do poder. Quem tem o poder, não para servir, mas para dominar, busca sempre tê-lo mais e nunca está satisfeito. Nesse caso o poder também se transforma num deus falso, oco, um ídolo.

A idolatria é o maior pecado. A árvore da qual brotam os outros nossos pecados. É uma escolha de um deus oco e não um cheio. Por isso, deixa vazios aos que escolhem adorá-la e servi-la.

Padre Alir
Postar um comentário