8 de abril de 2016

É Deus quem escolhe a pessoa certa para eu me casar?

Encontrar a pessoa certa para casar-se não é uma missão impossível

O casamento é uma instituição divina que Deus estabeleceu desde o momento da criação do homem e da mulher. Depois de criar Eva, o Senhor Deus a levou para Adão, que ficou muito satisfeito e exclamou: "Agora sim, tenho alguém que é osso dos meus ossos e carne da minha carne, ela vai se chamar mulher" (Gen 2,23). E Deus disse ao casal: "O homem deixa a casa do seu pai, se une à sua mulher, e sereis uma só carne" (Gen 2,24).

É Deus quem escolhe a pessoa certa para eu me casar
Foto: Jason_Lee_Hughes, iStock.by Getty Images

Assim, Deus estabeleceu a humanidade sobre as bases do casamento, que Jesus elevou à dignidade de sacramento, uma graça especial para o casal viver a vida conjugal e familiar como Deus deseja.

Nesse sentido, Deus deseja que os casais que se unem em matrimônio, vivam em harmonia conjugal, de modo que a família e os filhos sejam felizes. E isso depende do namoro, de uma escolha correta com quem se casar; isto é, alguém que tenha os mesmos valores humanos e espirituais.


Desígnio de Deus

É claro que precisamos pedir a Deus a graça de encontrar aquela pessoa com quem devemos nos casar, e Ele atende nossa oração. Conheço pessoas que fizeram novenas para encontrar uma pessoa adequada para se casar e conseguiram; mas isso nem sempre acontece, pois, nem sempre os planos de Deus são os nossos. O Senhor conhece cada um de nós e sabe que, muitas vezes, o casamento não é bom para uma pessoa. Às vezes, ele chama a pessoa a uma vocação sacerdotal ou religiosa, ou mesmo celibatária. Michel Quoist dizia que "solteiro ou casado, só o egoísta desperdiça a vida".

Deus atende a quem reza e Lhe pede ajuda, mas Ele não tira a nossa liberdade; ao contrário, o Senhor nos dá inteligência e vontade para tomar as decisões certas em nossa vida com a ajuda da Sua graça. Sabemos que a graça, como disse Santo Agostinho, supõe a natureza; não a dispensa, mas a enriquece. Precisamos cooperar com a graça também para encontrar a namorada e a esposa que seja adequada. E tudo isso começa no namoro. Não existe destino, e Deus não determina uma pessoa para se unir com outra sem a decisão de ambos.

Já vai muito longe o tempo em que os pais arranjavam os casamentos para seus filhos. Para encontrar alguém adequado, é preciso procurá-lo. Normalmente, é no próprio ciclo das amizades e ambientes de convívio que os namoros começam. Sabemos que o ambiente molda a pessoa de certa forma; logo, é preciso procurar alguém naquele ambiente que vive os valores que se preza.

Onde procurar?

Se alguém é cristão, então procure entre famílias cristãs, ambientes cristãos, grupos de jovens, etc., a pessoa que procura, e peça a ajuda de Deus. O namoro começa com uma amizade, que pode ser um pré-namoro que vai evoluindo. Mas não se deve "mergulhar de cabeça" num namoro, só porque uma paixão o dominou. Não vá com muita sede ao pote, porque pode quebrá-lo.

É preciso sentir primeiro, por meio de uma pura amizade, quem é a pessoa que está a sua frente. Talvez, já nesse primeiro relacionamento amigo, pode-se saber que não é com essa pessoa que se deve namorar. É o primeiro filtro, que tem a grande vantagem de não ter ainda qualquer compromisso com o outro, a não ser de amizade.


 Cultura da alma x cultura do corpo

O namoro é o encontro de duas pessoas com base naquilo que elas são, não naquilo que têm. Não se pode escolher um namorado somente por causa de sua beleza ou de seu dinheiro, pois amanhã pode ser que você não se satisfaça só com isso. Às vezes, uma pessoa simpática, bem humorada, feliz, supera muitas outras que oferecem mais beleza e perfeição física. Infelizmente, a nossa sociedade trocou a "cultura da alma" pela "cultura do corpo". Prova disso, é que nunca como hoje as cidades estão tão repletas de academias de ginástica, salões de beleza, cosméticos, cirurgias plásticas, etc. Investe-se ao máximo naquilo que é mais inferior na dimensão do ser humano,o corpo, embora este também seja importante.

É claro que todas as moças querem namorar um rapaz bonito, e também o contrário, mas não se pode esquecer o que disse Exupèry: "O mais importante é invisível aos olhos", pois é o que não envelhece e não acaba. O que é visível desaparece um dia, inexoravelmente ficará velho com o passar do tempo. Aquilo que não se vê – o caráter da pessoa, a sua simpatia que se mostra sempre atrás de um sorriso fácil e gratuito, o seu coração bom, a sua tolerância com os erros dos outros, as suas boas atitudes, etc. –, não passa, o tempo não pode destruir, e é o que vale.

A busca pelo essencial

Se você comprar uma pedra preciosa só pelo seu brilho, talvez acabe adquirindo uma joia falsa. É preciso que você conheça a sua constituição e o seu peso. O povo diz muito bem que "nem tudo que reluz é ouro". A felicidade não está na cor da pele, no tipo do cabelo nem na altura do corpo, mas na grandeza da alma. Quantos belos artistas terminaram de maneira trágica a vida! Nem a fama, nem o dinheiro em abundância, nem os "amores" mil, foram suficientes para fazê-los felizes. Faltou cultivar o que é essencial, aquilo que é invisível aos olhos. Tenho visto muitas garotas frustradas, porque não têm aquele corpinho de manequim ou aquele cabelo das moças que fazem propagandas dos xampus, mas isso não é o mais importante, porque acaba.

Os homens de todos os tempos sempre quiseram construir obras que vencessem os séculos. Ainda hoje podemos ver as pirâmides de 4000 anos do Egito; o Coliseu Romano, de 2000 anos, e tantas obras fantásticas. Mas a obra mais linda e duradoura é aquela que se constrói na alma, porque é imortal. Portanto, ao escolher o namorado, não se prenda apenas às aparências físicas; é preciso descer às profundezas da alma do outro e buscar seus valores.

É preciso dizer também que não se pode fazer da seu namorado uma peça de exibição que faça inveja aos colegas. Ele não pode ser exibido como um carro que você desfila entre os seus amigos para mostrar sua "grandeza". Você estaria fazendo do outro uma "coisa".

Enfim, Deus nos ajuda com Seu amor e Sua graça; dessa maneira, encontrarmos alguém que nos seja adequado. Mas é preciso fazer a nossa parte. O livro do Eclesiástico diz: "É uma boa dádiva uma mulher bondosa; uma dádiva daqueles que temem a Deus. Ela será dada a um homem por suas boas ações" (Eclo 26,3). Isso mostra que um bom cônjuge Deus dá também àqueles que O amam e fazem a Sua vontade.



Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa "Escola da Fé" e "Pergunte e Responderemos", na Rádio apresenta o programa "No Coração da Igreja". Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino


Fonte: http://formacao.cancaonova.com/relacionamento/casamento/deus-escolhe-pessoa-certa-para-me-casar/

Postar um comentário