6 de abril de 2016

O demônio existe

O problema para o homem de hoje é perguntar-se se o demônio existe

No Evangelho, ouvimos relatos de expulsão de demônios por Jesus. Talvez esse fato nos pareça um pouco raro, porque estar possuído por um demônio nos parece algo exclusivo daqueles tempos. Entretanto, isso acontece também em nossos dias, mesmo que seja pouco frequente. Mas o problema para o homem de hoje é perguntar-se se o demônio, como pessoa, existe ou não.

O demonio existe 1600x1200

Acontece que o homem moderno e até o cristão moderno apenas creem no demônio. E este tem conseguido realizar, em nossos dias, sua melhor manobra: fazer que se duvide de sua existência. Queremos, por isso, agora, meditar um pouco sobre o diabo e seu atuar no mundo e em nossa vida. Os habitantes do inferno buscam neutralizar o poder e domínio de Deus, mas porque não lhes é dado enfrentar-se diretamente com Ele, atuam indiretamente. Tratam de atrair sua criatura preferida na terra: o homem. Assim, cada um de nós é um campo de luta em que se enfrentam o bem e o mal, as forças divinas e as diabólicas. Quem negaria tal realidade?


A grande obra do diabo é o pecado

Nenhum de nós será tão ingênuo a ponto de acreditar estar fora dessa luta permanente. Cada um de nós experimenta essa tensão, esse conflito em seu corpo e sua alma. Percebemos que um ser forte atua em nós e nos quer impor sua vontade, e que necessitamos de outro mais forte para libertar-nos. Fomos libertados já no dia de nosso batismo, mas o demônio voltou a nós e deixamos que ele entrasse de novo por meio de nossos pecados.

A grande obra do diabo é o pecado. Ele é o "pai do pecado". A realidade do mal leva os homens a matar, roubar e enganar, faz triunfar o injusto e sofrer o justo. O mal torna egoísta os que já têm muito e leva ao desespero os marginalizados – tudo isso e muito mais é obra dele, bem presente e atual em nosso mundo.

Realmente, o homem não vive sozinho seu destino, pois é incapaz de ser absolutamente independente. Ou se entrega a Deus ou é acorrentado pelo demônio. Tanto no bem quanto no mal, não somos nós quem vivemos, mas é Cristo ou satanás que vive e triunfa em nós. Ou somos filhos de Deus ou somos filhos do diabo!

É necessário que Cristo nos fortaleça em nossa luta diária

Jesus Cristo combate, desde o princípio de Sua missão, contra essa potência do mal, incrivelmente ativa e dispersa pelo mundo. Em toda parte Jesus a descobre, a expulsa e destrona. Nesse contexto, devemos ver também os textos do Evangelho. No centro dos textos bíblicos não está o possuído pelo demônio, mas Cristo. A Ele devemos dirigir nosso olhar. Sozinhos, nós não conseguiremos nos soltar do poder do maligno. Com nossas forças não podemos vencer o mal dentro de nós. É necessário que Cristo nos fortaleça em nossa luta diária contra o inimigo de Deus. É necessário que Cristo nos liberte, passo a passo, do poder destruidor do inimigo.

Também a Santíssima Virgem Maria, vencedora do diabo, há de nos ajudar nisso. Como Cristo procedeu no Evangelho com os possuídos, assim quer expulsar a injustiça, a mentira, o ódio e todo o mal da terra. Quer em nós e por nós criar um mundo novo melhor, renovar a face da terra. Quer construir a nação de Deus, onde reina a verdade, a justiça e o amor.

Queridos irmãos, também nós seremos, um dia, totalmente livres da influência do maligno. Isso acontecerá no dia feliz de nosso encontro final com Deus, da nossa volta à Casa do Pai.

Postar um comentário