26 de janeiro de 2011

Em documento, Papa Bento XVI promove netiqueta cristã

Por IDG News Service/Roma

Líder máximo da Igreja católica condena a criação de perfis falsos e defende a comunicação online "honesta, aberta e responsável".

O Papa Bento XVI abençoou na segunda-feira (24/1) as redes sociais, convocando os usuários católicos da Internet a adotar uma netiqueta cristã respeitável quando forem espalhar a palavra sagrada online.

O Papa afirmou que as novas tecnologias têm criado oportunidades sem precedentes no estabelecimento de relações e na contrução de amizades, mas advertiu contra a criação de perfis online falsos por vaidade e a divulgação da mensagem cristã apenas para angariar popularidade.

O pontífice de 83 anos, que tem pouca experiência pessoal direta com a Internet e escreve seus textos à mão, publicou suas orientações em um documento intitulado "Verdade, proclamação e autenticidade da vida na era digital", veiculado para marcar o 45.º Dia Mundial das Comunicações Sociais do Vaticano.

Dois lados
O Papa disse que os aspectos positivos da Internet - que incluem diálogo, solidariedade e a criação de relações positivas - também tem um outro lado: "a interação baseada em apenas um dos lados, a tendência a comunicar apenas algumas partes do mundo interior de alguém, o risco de construir uma imagem falsa de si mesmo, que pode se tornar uma forma de autoindulgência".

Os perigos de muita rede social incluem "fechar-se em um tipo de existência paralela, ou exposição excessiva no mundo virtual", disse o Papa, na mensagem. "Na busca por compartilhamento, por 'amigos', há o desafio de ser autêntico e confiável e não cair na ilusão de construir um perfil público artificial para si mesmo".

O Papa afirmou que há "um modo cristão de estar presente no mundo digital: ele toma a forma de uma comunicação que é honesta e aberta, responsável e que respeita os outros".

O arcebispo Claudio Celli, chefe do escritório de comunicações sociais do Vaticano, afirmou aos jornalistas que seria correto entender a exortação do Papa como aplicável a certos blogs conservadores católicos que contribuem para a circulação do vitriol online.

Celli também disse que o Conselho Pontifício das Comunicações Sociais trabalha em um guia de estilo online para católicos. "Eu não amo estas coisas, mas penso que podemos definir alguns pontos de referência em comportamento", disse Celli.

Em sua mensagem, o Papa também advertiu contra julgamentos da qualidade da informação online pelo número de visitas que ela atrai.

"Nós devemos estar atentos de que a verdade que queremos compartilhar não extrai seu valor da 'popularidade' ou da quantidade de atenção que recebe", disse o Papa.

O Papa não tem presença direta no Facebook, mas o Vaticano trabalha para modernizar seu site e prepara um novo portal multimídia, que deverá ser lançado em tempo para a Páscoa.

O site pope2you, no entanto, oferece uma aplicação para o Facebook que permite aos usuários compartilhar as mensagens, fotos e e-cards do Papa com os amigos na rede social.


(Philip Willan)
Postar um comentário