4 de dezembro de 2014

Seis passos para melhorar o diálogo no relacionamento

Nunca pare no conceito de que "se ela fez isso, eu entendi que…"

A comunicação acontece não somente pela palavra falada ou escrita, mas também por meio de expressões faciais, gestos, significados e emoções. Assim, nem tudo o que uma pessoa diz pode ser "tudo" o que ela quis dizer. Às vezes, o que é óbvio para um pode não ser tão evidente para o outro. Outro exemplo é quando uma pessoa profere uma frase de descontentamento por algo que o namorado acabou de fazer, mas, na verdade, essa decepção é fruto não somente do fato imediato, mas de desapontamentos em momentos passados.

6 dicas para melhorar o relacionameto

Entretanto, mesmo com esses fatores, entre um casal, principalmente no convívio do dia a dia, é imprescindível que a comunicação se faça privilegiadamente pela palavra verbalizada. Todo casal precisa aprender a conversar, pois, na maioria das vezes, o diálogo é o ponto de partida para que a verdade de cada um, os sentimentos, as reações e decisões venham a fluir.

Permita-me, então, apresentar seis passos para melhorar o diálogo no relacionamento de namorados, noivos ou esposos.

1 – Assumir que precisamos melhorar a comunicação

Às vezes, o casal se fala, conversa, troca informações, mas "tanto nas horas de tensões, quanto e em coisas simples" percebem-se quase que completamente estranhos. Um fala; o outro escuta, mas não entende. Ela combina uma coisa com ele, mas depois ele diz que não foi o que entendeu do que combinaram. Em vez de irritar-se com quem você ama (o que nesse hora é o mais fácil de acontecer), assuma que sua pressa, sua ansiedade, sua preocupação com outras coisas, sua experiência em outros relacionamentos e até sua história de vida podem ter influenciado na maneira como você lidou com a informação e o acordo. Corrija a si mesmo primeiramente.

De igual modo, admita que compreendeu algo e pergunte de novo. Não entendeu da segunda vez, pergunte novamente. Repita até ter certeza que captou com clareza a mensagem.

Se o casal detectar essas falhas, o que poderá ajudar muito é o exercício de perguntarem um ao outro três coisas: Você me entendeu? Pode dizer o que compreendeu de tudo o que eu disse? Percebe o que representa para mim? Ao ouvir, jamais menospreze o outro nem lhe diga "isso é bobagem!".

Nunca pare no conceito de que "se ela fez isso, eu entendi que…", "se ele disse isso, significa que…" Se você está interpretando uma reação, vá lá e pergunte se é isso mesmo!

Tome cuidado também com recados trocados em mídias sociais, estes podem soar frios demais. Na dúvida, não queira interpretar a emoção da outra pessoa. Ligue ou deixe para esclarecer sua dúvida quando se encontrarem pessoalmente.

2 – Desligue a TV

Na verdade, não é só a TV. Reserve um tempo, todo os dias, para conversarem. Não dá para entrar a fundo no coração do outro se você estiver preocupado com o próximo compromisso. Quando estiverem dialogando, desfaça-se de distrações exteriores. Olhe nos olhos, pare um pouco. O mundo não vai acabar se você se desobrigar por uns minutos. "Cave" tempo, saia dez minutos mais cedo para estar com quem você ama, faça um esforço para separar um momento para vocês.

3 – Desfaça-se de conceitos fechados e de querer ter a razão

Comumente, vemos as pessoas dizerem coisas como: "Isso aqui eu entendo mais que você", "Disso eu não abro mão", "Tem que ser assim e pronto. Acabou!", para assuntos que deveriam ser leves, como uma conversa sobre um time de futebol até as mais polêmicas como opinião sobre um partido político ou que podem ser as mais tensas como discernir quais são as prioridades do casal. Mas você já pensou que, talvez, aquilo que aprendeu e fez a vida inteira não serve para o outro e, quem sabe, realmente, ele tenha uma vivência, uma ideia, um conceito melhor, mais racional e funcional, mais satisfatório para ambos que o seu? Mas isso você só descobrirá se romper com o seu orgulho e não fechar as possibilidades. Mesmo aquilo que vem da "sabedoria milenar" de sua família pode ser aprimorado. O debate, a troca de ideias podem ser muito construtivos; e se seu conceito for melhor, este ganhará força na visão do outro. Mas tudo depende de sua aceitação em conversar.

Cuidado também com seu tom de voz. Nunca queira ganhar no grito.
E claro, se precisar entrar numa discussão, entre para resolver o que é melhor para vocês dois, e não para defender sua tese e querer sair com a razão. Vá sempre com o coração aberto.

4 – Ouça atentamente o outro e não o interrompa até que acabe de falar

Ele mal começou a falar e já queremos intervir, falar o que pensamos. Mas, no fim, vemos que o que ele disse não tinha nada a ver com o que achamos que iria falar. Você já passou por isso? Então, exercite o ato de deixar que o amado fale até o fim para depois dar sua opinião.

5 – Use de sinceridade, mas sempre com caridade

Existe um jeito amável até para se dar as piores notícias. Seja franco sempre! Se necessário, prepare seu discurso num papel. Quando for para corrigi-lo, ressalte também os pontos positivos da pessoa.

6 – Exercite o diálogo em tudo

Não espere ter uma crise ou discussão para terem de conversar. Aprenda a falar do seu dia, de seus sentimentos mais profundos e segredos. Também aprenda qual o melhor momento e o tempo do outro para resolver certas coisas.

Enfim, invista no diálogo, pois ele é o combustível do amor!

Deus abençoe!

Sandro Arquejada

Sandro Aparecido Arquejada é missionário da Comunidade Canção Nova. Formado em administração de empresas pela Faculdade Salesiana de Lins (SP). Atualmente trabalha no setor de Novas Tecnologias da TV Canção Nova. É autor do livro "Maria, humana como nós" e "As cinco fases do namoro". Também é colunista do Portal Canção Nova, além de escrever para algumas mídias seculares.


Fonte: http://formacao.cancaonova.com/relacionamento/namoro/seis-passos-para-melhorar-o-dialogo-no-relacionamento/

Postar um comentário