19 de agosto de 2014

O feminismo na SSVP

A fundação de nossa entidade ocorreu com a participação de sete cidadãos franceses denominados posteriormente de "confrades"
Um pergunta interessante: a partir de que data as mulheres passaram a participar da Sociedade?
Constata-se que em julho de 1956 foi realizada em Paris, França, a 4ª Assembleia Internacional da Sociedade e um dos assuntos tratados foi a presença feminina nas Unidades Vicentinas.
Deduz-se, então, que em 1956, as mulheres já participavam da Sociedade e nesse evento internacional regularizou-se uma situação de fato.
Mas é necessário que retrocedamos mais ainda no tempo.
Em 1921, o presidente do Conselho Central de Taubaté, no Estado de São Paul,o dirigiu Carta Circular aos Conselhos Particulares de sua área.
Nela, o confrade menciona uma consulta efetuada por vicentinos da Argentina, ao bispo de Corrientes, sobre a presença de mulheres na Sociedade.
O porquê desta indagação. A Sociedade de São Vicente de Paulo tinha por costume submeter à autoridade religiosa algumas dúvidas, embora seu caráter seja eminentemente leigo. 
Não vejo necessidade de me alongar sobre os detalhes desta consulta do confrade argentino, mas constamos da resposta um tópico interessante:
"É sabido que a Sociedade de São Vicente de Paulo foi fundada com a exclusão total das mulheres (Manual de La Societé, página 20) e, somente depois se conseguiu de Gregório XVI, a concessão de indulgências às mulheres que cooperassem com suas esmolas às Obras da Sociedade, único meio que obtiveram de tomar parte nessas Obras".
O pontificado de Gregório XVI foi de 1831/1846.
Mas a história portenha prossegue, pois em 1914, as mulheres argentinas comemoraram os 25 anos de fundação da Conferência feminina, ocorrida em 1889.
Interessante saber, que no país vizinho, até hoje, convivem dois Conselhos de Direção, um masculino e outro feminino.
Mas, na Espanha, em 1867, o Papa Pio IX concedeu em 22 de abril um reconhecimento à Conferência de mulheres, por meio de um documento denominado "Breve".
Vale a pena transcrevermos parte do documento:
"Acolhendo as vossas súplicas, a Sociedade das mulheres cristãs, sob o título de São Vicente de Paulo, vulgarmente chamadas Conferência, que é central no reino de Hespanha e tem sua sede na cidade de Madrid...".
Da Espanha as Conferências das Mulheres passaram para a República (Oriental) do Uruguai de dali propagou-se na República Argentina.
Então, podemos supor que antes de 1867 já existia o elemento feminino da Sociedade.
Como a comunicação era falha entre nós e, de certo modo ainda o é, este confrade somente veio tomar conhecimento de elementos femininos em 1965, quando participou do I Encontro Nacional Vicentino no Rio de Janeiro, e espantado ficou ao conhecer a consócia Maria Marconato de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.
Finalmente, de se esclarecer, que a expressão 'Consócia' para designar nosso elemento feminino é genuinamente brasileira.

Confrade Helio Pinheiro
Conselho Metropolitano de Governador Valadares


Fonte: http://www.ssvpbrasil.org.br/?pg=noticias_default&codigo=2503

Postar um comentário