20 de fevereiro de 2015

Transtorno Bipolar: a verdade atrás dos mitos

Existem muitos mitos sobre o transtorno bipolar, inclusive o fato de que a pessoa será fadada à tristeza

Atualmente, ouve-se falar muito de transtorno bipolar. Há inúmeros artigos não especializados sobre esse tema na imprensa. Em certo sentido, parece ser a doença dos famosos, já que muitos deles afirmam ser bipolares. A história da doença, porém, não tem glamour ou brilho. Ao contrário, traz enormes prejuízos e sofrimentos aos pacientes, familiares e cuidadores, se não for bem tratada.

Transtorno bipolar: a verdade por detras dos mitos

Há um pensamento comum de que o bipolar é a pessoa que "uma hora está triste e, logo depois, alegre, animada". No entanto, o transtorno bipolar de humor ou espectro bipolar é caracterizado por períodos de depressão, manifestados por tristeza sem motivo, desânimo, perda do prazer nas atividades, lentificação da fala e dos movimentos, alterações do sono, pensamento negativo, ideia suicida entre outros sintomas. Os sintomas também podem ser alternados com períodos de mania (não alegria), isso é, presença de ansiedade, agitação psicomotora, discurso e pensamentos acelerados, fuga de ideias, sentimento de poder, grandeza, irritabilidade e ações impulsivas como comprar vários carros, dar dinheiro, pular de um prédio… Esse estado justifica o aumento de risco de suicídio nesses pacientes, como também o abuso de álcool e outras drogas, o que piora um quadro já bastante ruim.

Há muitos mitos sobre esse transtorno. Aqui não poderei citar todos, mas escolhi três que acredito serem essenciais.

1º – A pessoa bipolar vive alternando de um humor para outro?
Não! Na maioria desses pacientes, o período de depressão se prolonga, exceto nos "cicladores rápidos", que geralmente são mais refratários ao tratamento.

2º – O transtorno bipolar só afeta o humor?
Isso é falso! A doença tem origem no cérebro, nas conexões entre neurônios e afeta tudo o que se faz, o que se pensa e, definitivamente, o que se é!

3º – Como não há tratamento eficaz, o bipolar está fadado a ter uma vida infeliz?

Também isso não é verdadeiro. Há tratamentos eficazes, unindo-se medicamentos, psicoterapia e educação familiar. Há bipolares que são um sucesso no trabalho e têm bom relacionamento familiar, embora não deixem de estar em constante estado de combate.

Você conhece alguém assim? Já presenciou o sofrimento dos que convivem com essa doença? Quer saber como ajudar? Deseja combater junto com eles?

Então, aguardem. No próximo artigo, conheceremos as armas mais atuais e as melhores estratégias para sairmos vitoriosos dessa batalha. Não nos esquecendo de ver, em cada bipolar que busca tratamento, o cumprimento da palavra: mesmo enfermo eu sou guerreiro!

Érika Vilela

Mineira de Montes Claros (MG), Érika Vilela é fundadora e moderadora geral da comunidade 'Filhos de Maria'. Cursou Medicina pelas Faculdades Unidas do Norte de Minas e, atualmente, faz especialização em Psiquiatria pelo Centro Brasileiro de Pós-graduações.

Érika atua como pregadora, articulista, missionária pela Casa Mãe de Misericórdia e médica na Estratégia Saúde da Família e na Clínica Home-Med. Evangelizadora com fé e ciência, duas asas que nos elevam para o céu, ela tem a bela missão de encontrar, na união mística com a dor salvífica de Cristo, a força para seguir em frente, sabendo que Deus opera sempre as Suas maravilhas!


Fonte: http://formacao.cancaonova.com/atualidade/saude-atualidade/transtorno-bipolar-a-verdade-atras-dos-mitos/

Postar um comentário